Imprensa24h 3 de outubro de 2017
Armas não matam pessoas, pessoas é que matam pessoas

Armas não matam pessoas, pessoas é que matam pessoas

Na madrugada do domingo para segunda, o mundo se voltou para esse que já está sendo considerado o maior ataque a tiros da história dos Estados Unidos da América. O atirador, identificado como Stephen Paddock, de 64 anos atirou contra a multidão que estava em um festival de musica Country no estado Americano de Las Vegas, até o momento, pelo menos 59 pessoas morreram e mais de 500 estão feridas nesse ataque brutal e desumano cometido por um indivíduo que segundo as investigações iniciais teria relação com o Estado Islâmico, o mesmo grupo que espalha terror nos quatro cantos do mundo através de ataques terroristas em que vitimizam milhares de inocentes em nome de seu ideal macabro e repulsivo.

Uma grande parcela da mídia mundial, inclusive a Brasileira optaram por levantar mais uma vez a bandeira do desarmamento, pauta essa que sempre entra em voga quando algo desse tipo acontece. Os jornalistas, alguns especialistas em segurança pública e artistas são unânimes em afirmar que esses atentados acontecem apenas por causa da facilidade em adquirir armas em solo Estadunidense. Não tardou o ocorrido e a grande mídia já se empenhou em culpabilizar as armas, as leis que concedem acesso à armas, o presidente Trump e sua campanha pró-arma de fogo e tudo mais que vir a calhar, esquecendo é claro do indivíduo que cometeu o crime, esse é deixado de lado, talvez por ter conexão com o Estado Islâmico, com receio de soar islamofóbico, a imprensa faz vista grossa a esse fato.

Não é de se espantar que a mídia tem sido desacreditada e vista com desconfiança por uma grande parcela da população, suas pautas cada vez mais se distanciam dos anseios da população e parecem seguir uma agenda própria e enviezada. Os artistas e alguns políticos Brasileiros que vivem em uma bolha já levantaram sua voz para atacar a constituição Americana, esses mesmos indivíduos se valem de seguranças armados, mas não desejam que você possua uma arma para defender a si mesmo, seus bens e sua família. É o famoso ditado: Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço. Os noticiários Brasileiros em sua totalidade sustentam a ideia de que se a legislação fosse mais restritiva, tal atentado não teria ocorrido, nada mais baixo e vil que defender esse ponto, esses doutores do saber e formadores da opinião pública parecem esquecer que o criminoso não tem como predisposição seguir a lei, justamente por isso, ele é considerado um transgressor da lei.

Vamos usar como exemplo nosso país que possui um estatuto do desarmamento e é acometido por uma taxa de homicídios 5x maior que os EUA e um número de mortes por armas de fogo que beiram os 60 mil mortos anualmente, número muito maior que países que estão em guerra declarada. Existem muitos exemplos de países onde grande parte da população possui e carrega armas de fogo, e que têm índices de criminalidade muito baixos em comparação com o Brasil, o próprio Estados Unidos da América é um exemplo salutar nesse sentido.

O discurso vendido pela imprensa tem como missão culpabilizar as armas e não o indivíduo que cometeu o ato, esse reducionismo barato tem como finalidade jogar a culpa em algo abstrato, um objeto material e inanimado, precisamos encarar a realidade, por mais crua que ela se apresente, o homem comete crimes desde que o mundo é mundo, Caim não precisou de uma pistola para tirar a vida de seu irmão Abel e outras tantas milhões de vidas foram tiradas sem o auxílio de armas de fogo. A diferença é que Deus munido de toda a sabedoria não culpou a pedra ou baniu todas elas da face da terra, mas foi o próprio Caim que sofreu as consequências pelo seu ato criminoso. A mídia tenta empurrar sua agenda globalista de todas as formas e capitaliza em momentos de dor e sofrimento em prol de de seus interesses escusos. São como urubus que circundam a carniça em busca de notícias que possam ser deturpadas em nome de sua agenda, isso não é feito de forma inocente, atende critérios bem definidos, falarei sobre isso em uma oportunidade vindoura. O culpado pelo ataque não são as armas, mas sim o indivíduo Stephen Paddock e sua sanha assassina.

Os pais fundadores da America foram muito claros no tocante ao direito da população em possuir armas de fogo para se proteger de um governo tirânico, invasor e violador das liberdades individuais, direito esse garantido pela 2º emenda da constituição Americana e defendida com unhas, dentes e armas pela população Americana. Foi com um discurso de paz e prometendo segurança que ditadores ao redor do mundo desarmaram a população e implantaram regimes assassinos. George Washington nos alertou que:

‘’Um povo livre não precisa ser apenas armado e disciplinado, mas precisa possuir armas e munição suficientes para manter seu estado de independência contra qualquer um que tente abusar deles, inclusive o próprio governo’’

É em momentos como esse que vemos o quanto a defesa de uma agenda se mostra mais relevante que a legítima compaixão por aqueles que sofre. Solidarizo-me com a família de todos os Americanos que enfrentam esse momento difícil e que lutemos em conjunto contra toda maldade perpetrada por indivíduos carentes de empatia com o seu semelhante.

GOD BLESS THE USA

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Por. Prof. Leonardo Lisboa  – Colunista do imprensa 24h

4ª Edição

Leave a comment.

Your email address will not be published. Required fields are marked*