Imprensa24h 9 de agosto de 2018
Ao apresentar estatísticas, Belivaldo diz que Sergipe está longe de ser o estado mais violento do país: Dados do Anuário da Segurança Pública 2018 apresentados pelo governador apontam Sergipe na 4ª posição do ranking de estados que mais reduziram as taxas de mortes violentas em 2017 _
Em participação ao vivo no programa televisivo Tolerância Zero, nesta quinta-feira (9), o governador Belivaldo Chagas (PSD), candidato à reeleição, contestou a narrativa de que Sergipe é o estado mais violento do Brasil.
Embasado pelos dados do 12º Anuário Brasileiro da Segurança Pública – estudo divulgado na manhã desta quinta (9) pelo Fórum Brasileiro da Segurança Pública -, Belivaldo disse que os números recém-divulgados refletem os avanços conquistados pela pasta da Segurança Pública do Governo de Sergipe.
“O anuário que saiu hoje mostra que reduzimos 12,9% as chamadas mortes violentas em Sergipe e 20,4% em Aracaju”, disse Belivaldo. O candidato à reeleição reconheceu, porém, que ainda há muito trabalho pela frente que precisa ser feito. “Mas o que esses esses números nos mostram mesmo é que estamos no caminho certo!”, destacou.
O Anuário Brasileiro da Segurança Pública 2018 compila e analisa dados de registros das polícias de todos os estados do país e é utilizado como dado oficial. Em sua 12ª, o Anuário da Segurança deste ano evidenciou a redução da taxa de mortes por 100 mil habitantes verificada em Sergipe em 2017.
“Sergipe foi o quarto estado do país que mais reduziu a taxa de mortes violentes no ano passado, e saltamos da primeira para sexta colocação no ranking de mais violentos de acordo com esse estudo”, frisou Belivaldo, ao acrescentar que, entre as capitais mais violentas, Aracaju saiu do primeiro lugar para o sétimo, alcançando uma redução de 20,4%.
A Secretaria da Segurança Pública de Sergipe relaciona esses números com investimentos em pessoal, em tecnologia e inteligência e na integração concreta entre a Polícia Militar e a Polícia Civil.
Segundo a SSP, o trabalho em conjunto do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e do Departamento de Narcóticos (Denarc) também tem sido fundamental para reduzir essas taxas, como também outras ações realizadas pela pasta se tornaram importantes para se chegar aos números que foram verificados.

Leave a comment.

Your email address will not be published. Required fields are marked*