Imprensa24h 20 de julho de 2018

Situação da colônia de gatos na UFS

Preocupada com a situação dos gatos que habitam as dependências da Universidade Federal de Sergipe (UFS), em São Cristóvão, a vereadora Kitty Lima esteve reunida com reitor da instituição, Prof. Angelo Roberto Antoniolli, em busca de uma solução para os problemas que atingem os animais e toda a comunidade acadêmica, oriundos do alto índice populacional de felinos no local.

Atualmente a UFS abriga a maior colônia felina do estado, e a falta de iniciativa a fim de frear o crescimento do número de gatos na instituição tem refletido no bem-estar desses animais.

“Circulou recentemente na imprensa uma matéria onde dava a entender que esses animais estavam sendo medicados e recebendo toda a assistência, mas a realidade não é bem essa. A situação dos gatos na UFS é preocupante. São necessários cuidados contínuos para esses animais que se reproduzem de forma rápida, e a principal medida que deve ser adotada é a castração. Por isso, nosso objetivo é fazer um programa de castração dentro da própria universidade. Ações dessa natureza já ocorreram de forma pontual, mas um programa fixo ainda não foi adotado pela instituição”, explicou Kitty.

Outro fator que tem contribuído para o agravamento da situação nas dependências da UFS é o abandono que, segundo a parlamentar, ocorre rotineiramente.

“Recebo inúmeros pedidos de ajuda de pessoas que encontram caixas com filhotes de gatos abandonados na UFS. Esse comportamento dificulta a assistência que grupos de protetores desenvolvem na universidade, já que fica difícil de fazer o controle populacional. Além disso, quem abandona animais está cometendo um crime, as pessoas precisam ter consciência da responsabilidade criminal que elas têm quando cometem uma atitude absurda dessa”, lembrou a vereadora.

Durante a reunião, o reitor da UFS prometeu a contratação de novas câmeras de segurança para o campus a fim de inibir e identificar aqueles que abandonarem novos animais na universidade.

“Infelizmente não são só gatos, filhotes de cachorros também são largados pela UFS. Espero que esse primeira iniciativa possa ajudar a reduzir esses abandonos, e vamos continuar mantendo diálogo até que ser colocado um fim ao sofrimento desses animais”, reforçou Kitty.

Leave a comment.

Your email address will not be published. Required fields are marked*