Pular para o conteúdo

Com o fim da limitação no número de consultas e sessões com psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas, pelos planos de saúde, todas as pessoas que necessitam desses tratamentos, incluindo pessoas autistas, terão melhores condições de progresso nas terapias. A advogada, mãe de criança autista e pré-candidata à Câmara Federal, Priscila Boaventura (PSB/SE), comemora essa decisão da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e mais esse passo no acesso aos serviços de saúde. Ela defende a importância desses procedimentos para uma melhor inserção das pessoas autistas na sociedade.

“Nós mães e responsáveis pelo acompanhamento dos nossos filhos autistas, sabemos o quanto é essencial que eles tenham acesso às terapias e consultas, de forma irrestrita, e o quanto elas auxiliam no desenvolvimento deles. Antes dessa aprovação da ANS, quando as sessões chegavam ao limite, os planos não liberavam mais e também não faziam reembolso. Agora, essa tensão vai ter fim e não corremos mais o risco de ter que interromper alguma terapia”, considerou Priscila.

A partir de 1º de agosto, o acesso a essas terapias será ilimitado, bastando que as sessões sejam prescritas pelo médico que acompanha o usuário do plano. Essa nova realidade beneficiará pacientes com qualquer doença ou condição de saúde listada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como paralisia cerebral, síndrome de Down, esquizofrenia entre outras.

De acordo com Priscila Boaventura, das terapias cobertas pelos planos de saúde para as pessoas autistas, antes dessa nova aprovação, anualmente, eram apenas 40 sessões com psicólogo e outras 40 com terapeuta ocupacional, e 96 com fonoaudiólogo.

“A luta para ter acesso aos direitos dos autistas e pessoas com deficiência é diária, e constante, e é por conquistas como essa que pretendo dedicar todos os meus esforços na Câmara Federal. Como mãe de uma criança autista, estarei em Brasília representando e defendendo todas as outras mães que vivem uma realidade parecida com a minha. Essa é a minha causa!”, salientou.

Expansão na cobertura

No mês de junho, a ANS aprovou a norma que expande a cobertura por parte dos planos de saúde para pessoas com transtornos globais do desenvolvimento, como o autismo. Sendo assim, desde o início deste mês, as técnicas ou métodos para tratamento, desde que indicados pelo médico assistente, devem ser, obrigatoriamente, cobertas pelo plano de saúde, sem restrição.

Imprensa 24h

Notícias de Aracaju, Sergipe e do Brasil

Instagram

Facebook

Twitter