Pular para o conteúdo
Início » Abril Marrom busca conscientizar a população sobre a importância do cuidado com a visão para evitar a cegueira

Abril Marrom busca conscientizar a população sobre a importância do cuidado com a visão para evitar a cegueira

Muitos podem não saber, mas a maioria dos casos de cegueira são tratáveis quando diagnosticados precocemente. A campanha Abril Marrom busca justamente conscientizar a população sobre a importância do cuidado com a visão para evitar a cegueira. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), de 60% a 80% dos casos de cegueira são evitáveis.
De acordo com a oftalmologista cooperada Unimed Sergipe, a médica Ana Cristina Bittencourt, os problemas de visão variam de acordo com as fases da vida. Desde o momento da gestação, a mãe é responsável pela prevenção da cegueira no bebê e este cuidado deve seguir até a vida adulta.
“Os problemas vão variar de acordo com as fases de vida. Na gestação, a mãe precisa ter cuidado para evitar rubéola ou toxoplasmose, pois podem levar à cegueira no bebê. No nascimento deve ser feito o teste do olhinho para avaliar tumores, em particular, o retinoblastoma, previne-se conjuntivites bacterianas usando nitrato de prata e em prematuros e observa-se a ocorrência da retinopatia da prematuridade”, explica a oftalmologista.
Na infância, é necessário medir a acuidade visual, ou seja, saber quanto a criança enxerga para prevenir a ambliopia ou olho preguiçoso e ter cuidado com acidentes domésticos como brincadeiras com objetos pontiagudos, plantas ou animais.
“É importante que a criança tenha um bom estado nutricional para que a carência de vitaminas não comprometa a visão. É fundamental a visita anual ao oftalmologista, visto que a criança não saberá informar se não enxerga”, complementa Dra. Ana Cristina.
Na adolescência, os casos mais comuns de traumas oculares são em acidentes de trânsito e em práticas esportivas. Algumas Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) também podem ser comuns nesse período da vida e cursam com baixa de visão e uveíte posterior. Segundo a oftalmologista, o uso abusivo de dispositivos digitais também tem aumentado o índice de miopia em jovens.
“Na idade adulta enfrentaremos o aumento dos acidentes de trabalho em indústrias químicas, serralheiros e construção civil. A catarata, glaucoma e retinopatia diabética são mais frequentes. Aparece a presbiopia com troca anual de óculos. Na velhice, aumenta a incidência de catarata e glaucoma e aparece a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI). Como podemos ver, não existe uma causa única, são várias e de acordo com as fases da vida. Em idade produtiva, a principal causa de cegueira é a Retinopatia Diabética”, pontua Ana Cristina.
Prevenção
Os cuidados com o corpo devem incluir, também, a saúde ocular. Por isso, para evitar problemas de visão e uma possível cegueira, é necessário se atentar a alguns detalhes no dia a dia.
“Diariamente, devemos fazer uma boa higiene ocular, limpeza frequente das pálpebras, uso de colírios lubrificantes, evitar coçar os olhos, uso de Equipamentos de Proteção Individual na vigência de atividades de risco, visitas frequentes ao oftalmologista para atualização do grau, tratamento e controle de doenças crônicas como glaucoma, catarata e DMRI, estimular atividades outdoor para alívio do espasmo muscular de acomodação diante do uso prolongado de dispositivos digitais e estar sempre atento a alguma baixa de visão ou outro sintoma que possa aparecer e que não apresentava antes”, alerta a médica.
Em alguns casos, a médica explica que a cegueira pode ser revertida, como no caso da catarata, em que o tratamento cirúrgico é eficaz e devolve a visão ao paciente. Outras situações de extrema baixa visual e que podem ser tratadas são: ambliopia até os sete anos de idade, erros de refração, algumas úlceras de córnea, uveítes infecciosas, descolamento de retina, hemorragias vítreas e algumas patologias maculares.
Cegueira permanente
No caso de pessoas em que a cegueira já se tornou permanente, como em glaucomas mais avançados, retinopatias diabéticas não controladas precocemente, algumas degenerações e distrofias congênitas maculares, cicatrizes de toxoplasmose macular e outras mais que são situações irreversíveis, o paciente deve manter o controle frequente com o oftalmologista para prevenir outras patologias que possam surgir, como também fazer uso dos recursos de visão subnormal.
“O enunciado de prevenção da cegueira foi atualizado e ampliado enfatizando-se a preservação da qualidade de vida do ser humano diante da importante função da capacidade visual. Outro cuidado especial é preservar as córneas, diante de uma possível doação futura, portanto, precisamos avisar aos nossos parentes que somos doadores e do nosso desejo em poder devolver a alegria de enxergar a quem precisa de uma córnea”, enfatiza a médica Ana Cristina.