Pular para o conteúdo
Início » Centro Especializado em Transtorno do Espectro Autista será inaugurado nesta quarta em Aracaju

Centro Especializado em Transtorno do Espectro Autista será inaugurado nesta quarta em Aracaju

Nesta quarta-feira, 27 de abril, Aracaju receberá o primeiro centro de abordagem integral ao transtorno do espectro autista em Sergipe, o CETEA. O centro trabalha através da ciência ABA – Análise Comportamental Aplicada. O espaço fica localizado na Rua Monsenhor Silveira, 412, no bairro São José, e possui uma equipe multidisciplinar altamente capacitada formada por diversos profissionais como psicólogo, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, psicopedagogo, musicoterapeuta, nutricionista, médico e arteterapeuta.

Responsável pelo centro, o neuro pediatra Rodrigo Araújo explicou que o centro foi criado a partir da análise e estudo do modelo de funcionamento de grandes centros do Brasil que não existem ainda em Sergipe.

“O centro surgiu em virtude da carência de um serviço de qualidade na capital ao tratamento do autismo, fazendo com que muitas famílias mudassem para outro estado para realizar tratamentos. Muitas famílias mudam para Bahia e São Paulo, como por exemplo porque aqui em Sergipe não tinha locais como este. O CETEA não é um local no qual a criança faz uma ou duas sessões de terapia semanal e vai para casa. Lá fazemos uma abordagem diferenciada. A criança faz no mesmo local todas as terapias em horários seguidos, e tem um planejamento montado e seguido de maneira uniforme por toda a equipe”, explica Rodrigo.

Os profissionais do CETEA foram selecionados de forma criteriosa e minuciosa. Por lá, o paciente passará por avaliação médica bimestral e ainda possuirá o acompanhamento externo, já que o psicólogo irá na escola da criança uma vez por semana, para avaliação do ambiente escolar e também fará uma visita semanal no domicílio da criança.

“A equipe multidisciplinar se reunirá regularmente para avaliar o desenvolvimento da criança e traçar metas em equipe. Tal qual se reunirá também regularmente com responsáveis da criança para passar feedback, esclarecer dúvidas e fornecer orientações. Tudo isso baseado na ciência ABA (análise comportamental aplicada), mais efetiva na abordagem do autismo, pois individualiza de acordo com as necessidades da criança”, destaca o neuropediatra.