Coluna Analítica com Nélio Miguel Júnior – 03/08

CAMINHANDO Sem açodamento, Edvaldo Nogueira tem conduzido sua pré-candidatura, quase que silenciosamente, sem deixar que as discussões políticas interfiram nos rumos da administração municipal. Sem sobressaltos, em março, filiou-se ao PDT. Na sexta-feira (31), ao confirmar a pré-candidatura pedetista, o presidente da sigla, Carlos Lupi, destacou que a reeleição do prefeito da capital sergipana é uma prioridade do partido. Ao migrar para o PDT, Edvaldo, além de inflar a bancada do partido na Câmara, que saltou de um para cinco vereadores, passou a ter o comando do diretório de Aracaju.

LUGAR AO SOL Pré-candidato a prefeito da capital pela Democracia Cristã (DC), Paulo Márcio busca um palanque para chamar de seu. Assim, parece ter identificado como nicho eleitoral que lhe seria simpático os eleitores do presidente Jair Bolsonaro. Neste sentido, passou a rivalizar com o grupo de Alessandro Vieira e Danielle Garcia, do Cidadania, dada a proximidade de ambos com o governo do amigo do Queiroz. Delegados, os três têm se estranhado na disputa pelo voto do eleitor conservador, tido como direitista. Nessa briga, resta evidente que o combate à corrupção, bradado pelos delegados, não passa de uma bandeira eleitoral para lhes garantir o poder político.

NEGACIONISTA Enquanto o presidente Jair Bolsonaro se esforça em negar a gravidade da covid-19, chegando mesmo a desestimular as pessoas a seguirem as recomendações das autoridades sanitárias no sentido de evitar o contágio do novo coronavírus, em Aracaju, a pré-candidata à prefeitura, Danielle Garcia (Cidadania), diz “tirar o chapéu” para o governo presidido pelo ex-militar. “Especialmente no tocante à pandemia”, frisou a neófita em entrevista ao Correio de Sergipe. Não bastasse aprovar a conduta errática do presidente da República, Danielle se associa, por conta própria, às piores práticas do governo federal.

DILMA QUEM? Márcio Macedo aposta na possibilidade de convencer o eleitorado aracajuano de que fará pela cidade tanto quanto fizeram outros colegas de partido. Segundo o pré-candidato do PT à prefeitura da capital, seu projeto está “alicerçado nos legados de Lula e Déda”. Como Márcio só se refere a esses dois nomes, sempre, surge a dúvida: ao esconder a ex-presidente Dilma Rousseff, Márcio assume não haver o que legar do último governo petista? Interessante lembrar que quando Dilma era presidenta, Márcio era o tesoureiro nacional do partido. Que teria havido para o pré-candidato petista ignorar esse período histórico?

É ISSO MESMO? Presidente do PSDB em Sergipe, Eduardo Amorim e seu irmão, Edvan, presidente estadual do PL, vão indicar o candidato a vice de Danielle Garcia (Cidadania), pré-candidata que propõe, no discurso, renovar as práticas políticas e enfrentar a corrupção. E é justamente por considerar essa bandeira de campanha que não há como deixar de notar a incoerência da aliança, sobretudo quando a memória traz à tona os escândalos de corrupção de governos tucanos e o envolvimento do PL no caso do mensalão petista, que levou o chefe do partido Valdemar da Costa Neto, para trás das grades. Para justificar a parceria, Eduardo diz que a aliança de Danielle é com ele e não com o partido. Porém, ao contrário do que diz o ex-senador, ele e o irmão se integraram ao Cidadania por terem a oferecer o tempo de propaganda no rádio e na tv e os recursos do fundo eleitoral do PSDB/PL.

 

 

 

Reprodução autorizada mediante citação da fonte: Imprensa 24h

 

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Deixe uma resposta