Com planejamento, a pandemia está sendo enfrentada de forma eficiente em Aracaju

O ano de 2020 apresentou um desafio inesperado para os gestores municipais: a pandemia do novo coronavírus. Os planos traçados, até a chegada do vírus, tiveram que ser suspensos, momentaneamente, e, frente aos obstáculos impostos pelo patógeno tão singular, foi preciso urgência nas ações.

 

Atenta às recomendações das autoridades sanitárias e, sobretudo, a estudos científicos, a Prefeitura de Aracaju traçou um plano de contingência mesmo antes de registrar o primeiro caso de covid-19 na cidade. Por esta razão, apesar das muitas perdas, a capital figura, hoje, entre as que têm menor índice de letalidade no país e uma das que melhor respondeu às demandas de enfrentamento ao vírus.

“O primeiro passo dado pela gestão municipal, nos primeiros dias de março março, foi a formalização do Plano de Contingência para o Coronavírus, elaborado logo após o Ministério da Saúde declarar Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional. Em seguida, já na segunda quinzena do mesmo mês, junto ao Governo do Estado, a Prefeitura assinou o primeiro decreto com as medidas de enfrentamento”, explica a secretária municipal da Saúde, Wankes Barboza.

A partir desses dois pontos de partida, ressalta a secretária, as ações foram intensificadas, com suspensão de aulas em instituições de ensino da rede pública e privada de Aracaju, interrupção do funcionamento de estabelecimentos, descontinuação de eventos, além das medidas mais rígidas de distanciamento social por toda a cidade e capacitação de equipe da linha de frente.

MonitorAju

Como primeira ferramenta desenvolvida pela Prefeitura, o MonitorAju foi criado para, inicialmente, orientar a população a respeito do coronavírus. Em seguida, com a expansão dos casos de covid-19, o canal de atendimento remoto passou a ser aliado importante no acompanhamento dos pacientes acometidos pela doença e também para os assintomáticos que necessitam tirar dúvidas. Atualmente, a equipe do serviço realiza cerca de mil ligações por dia.

Aracaju pela Vida

Como um braço do MonitorAju, o projeto “Aracaju pela Vida” é outra estratégia exitosa da gestão para ampliar o monitoramento dos casos confirmados de covid-19. Ele consiste em assistir pessoas que já foram atendidas nas unidades de referência para o coronavírus e, atualmente, estão em isolamento domiciliar com exames confirmados ou suspeitas de covid-19, nos quais há riscos de agravamento, como em idosos ou em pessoas com comorbidades.

O acesso dos usuários pode ser pelo MonitorAju, por meio do qual as pessoas já são acompanhadas remotamente; pelo atendimento nas UBS de referência para síndrome gripal ou na identificação pela UBS do próprio bairro.

Estruturação dos atendimentos

A instalação de contêineres, ampliação de leitos de retaguarda, construção do Hospital de Campanha (HCamp) Cleovansóstenes Pereira Aguiar, e a disponibilização de oito Unidades Básicas de Saúde (UBS) para atendimento exclusivo de pessoas com sintomas de síndromes gripais se mostraram estratégias essenciais para ultrapassar a crise sanitária com o menor prejuízo possível.

 

As UBSs exclusivas, considerando o atual cenário epidemiológico do município, passaram a ser quatro: UBS Ministro Costa Cavalcante (conjunto Inácio Barbosa), UBS Onésimo Pinto (bairro Jardim Centenário), UBS Geraldo Magela (conjunto Orlando Dantas) e UBS José Machado (bairro Santos Dumont).

“O HCamp, inaugurado em 16 de maio, atendeu 461 pacientes ao longo dos quatro meses de funcionamento, e obteve uma taxa de 74% de resolutividade, recuperando 343 pessoas infectadas pela covid-19. O hospital ainda realizou 90 transferências de pacientes que necessitaram de um leito de UTI (20% dos atendimentos na unidade) e registrou 28 óbitos (6%)”, detalha Waneska.

De forma paralela, a administração municipal aumentou os leitos de retaguarda em outras unidades da rede, como nas UPAs Nestor Piva e Fernando Franco, e contratou leitos no hospital São José, além dos leitos pediátricos no hospital Santa Isabel e no Hospital Universitário.

TestAju

Lançado em agosto, o TestAju já realizou mais de 30 mil exames para identificar novas contaminações pela covid-19 na população aracajuana. De forma itinerante, com ações de campo e visitas a residências ou fixando ponto em espaços públicos, o projeto realiza dois tipos de exames. O primeiro é o RT-PCR, de biologia molecular, direcionado a moradores dos bairros; o segundo é o teste rápido, cujo resultado é revelado em menos de 20 minutos, ofertado, estrategicamente, em espaços públicos da cidade.

Imprensa 24h

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *