Dia Mundial do Diabetes: Saúde Aracaju realiza atividades de prevenção

Com o intuito de conscientizar os usuários e alertar sobre a diabetes, a Secretaria Municipal da Saúde, por intermédio do setor de endocrinologia do Centro de Especialidade Médicas (Cemar Siqueira Campos), desenvolverá programação alusiva ao Dia Mundial do Diabetes – 14 de novembro -, nesta quinta-feira,  dia 18, a partir de 8h30.
A atividade será iniciada com o acolhimento musical do grupo “Sons no SUS”, depois haverá ações educativas, entrega de folder informativo sobre alimentação saudável e prevenção de complicações da doença. De acordo a gerente do setor de endocrinologia do Cemar, Lucimara Santos da Silva, muitas vezes a diabetes é uma doença silenciosa.
“Por isso, o nosso objetivo é alertar a população em relação a esse grave problema de saúde pública, orientando sobre os sinais e sintomas, e com relação à promoção e controle dessa doença. Está comprovado cientificamente que a mudança no estilo de vida é uma prática fundamental o controle de complicações do diabetes. O grande pilar é a prática de atividades físicas junto com a alimentação saudável”, explica.
Serviços
A Prefeitura de Aracaju oferece acolhimento a pessoas com suspeita e confirmação de diabetes nas 45 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da capital. Cada UBS conta com uma equipe de profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e nutricionistas, aptos a acolher essas pessoas.
Mas UBSs, as equipes verificam se os usuários precisam ser encaminhados para o tratamento, caso seja necessário. Nos casos de maior complexidade, os pacientes são encaminhados para o setor de endocrinologia no Cemar, no bairro Siqueira Campos, por meio da regulação da Secretaria.
Setor Especializado de Endocrinologia
“Recebemos pacientes tanto da capital quanto do interior do estado para tratar os três principais tipos de diabetes. Nesta quinta, as ações estão voltadas para conscientizar os pacientes em relação aos cuidados de prevenção de complicações da doença. Aqui eles recebem, também, atendimento no ambulatório de feridas e avaliação do pé diabético. Os critérios para esse encaminhamento correspondem aos pacientes com complicações renais, na visão, bem como casos onde o paciente possui outras alterações além do diabetes”, explica a gerente.
A médica endocrinologista do Cemar, Vanessa Porto, relata que a identificação e o tratamento precoce do diabetes são as principais estratégias para combater a doença.
“Todo paciente adulto acima de 45 anos deve fazer uma glicemia em jejum, uma hemoglobina glicada, para investigar se tem diabetes. Mas mesmo mais novo, caso a pessoa tenha algum fator de risco, a exemplo do sobrepeso, associado a outros fatores, como histórico familiar, hipertensão ou dislipidemia, também deve fazer exames de identificação do diabetes mellitus”, explica a médica.
Sintomas e complicações
Entre as múltiplas complicações de um quadro de diabetes não tratado estão a neuropatia (doença que atinge o funcionamento dos nervos periféricos), amputação de membros inferiores, cegueira, alterações renais, infarto agudo do miocárdio e AVC, dentre outras consequências.
“E, apesar de ser uma doença na maioria das vezes assintomática, alguns sintomas podem surgir, como perda repentina de peso, excesso de urina (principalmente à noite) e de sede. Mas esses sintomas aparecem quando a doença já está descompensada, o que significa que se uma pessoa manifestá-los, ela deve procurar a assistência médica mais próxima para investigar se são decorrentes de diabetes”, orienta a médica.

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *