Pular para o conteúdo
Início » Dupla sergipana apresenta projeto escolar no 15º Congresso Internacional Rede Unida

Dupla sergipana apresenta projeto escolar no 15º Congresso Internacional Rede Unida

No período entre os dias 16 e 19 de junho, o secretário escolar Rogério Andrade e o estudante Pedro Henrique Oliveira, do Colégio Estadual Dom Mário Rino Sivieri, localizada no município de Lagarto, território Centro-Sul sergipano, participaram do 15º Congresso Internacional Rede Unida, na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES/Campus de Goiabeiras), na cidade de Vitória/ES.

Embora o Brasil esteja vivenciando um aumento significativo de novos casos de covid-19, nesta edição o evento tem como proposta celebrar o fato de o Brasil ter vencido a pandemia de covid-19. Foram lembrados os que perderam a vida nesse período em função da doença causada pelo novo coronavírus. Ao mesmo tempo a organização quer construir desde já, de forma compartilhada com todas as pessoas, um futuro para o país, que seja marcado pela justiça social, solidariedade, generosidade e o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

O projeto “Ethos comunitário versus coerção social no combate à covid-19 em ambiente escolar” foi apresentado pela dupla que representou Sergipe no evento. A iniciativa faz parte do Programa Pesquisa na Escola e do Programa de Iniciação Científica Júnior (PIBICjr) que contempla uma bolsa mensal para o estudante Pedro Henrique Oliveira e um orçamento para o custeio do projeto. De acordo com Rogério Andrade, com o programa de iniciação científica, a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) reafirma o compromisso com o despertar das vocações científicas e estímulo da pesquisa nas escolas da rede estadual, por isso não mede esforços nem poupa investimentos nessa área.

“A participação no evento foi importante para apresentar ao aluno Pedro Henrique Oliveira como a ciência é construída e como se dá a socialização de saberes que difundem uma ciência mais adequada a cada realidade. Afinal, nem todos conseguiram cumprir os protocolos sanitários e foram necessários, por meio da ciência, descobrir alternativas a quem não pôde ficar em casa por conta do trabalho ou mesmo se isolar por morar em casas muito pequenas”, relatou Rogério Andrade.

Além do tema tratado pela iniciativa da dupla sergipana, outros assuntos pertinentes, como saúde pública e defesa do SUS, foram vivenciados durante os dias da extensa programação, que teve Paulo Freire como um dos patronos. Para o jovem bolsista Pedro Henrique Oliveira, que apresentou o trabalho realizado em torno do projeto, “a apresentação foi tranquila, tanto a minha quanto o que eu vi dos outros autores. Aprendi como funciona um congresso científico e sobre o Sistema Único de Saúde (SUS)”, disse.

Durante a apresentação, a dupla demonstrou o objetivo central do projeto conduzido no colégio onde atuam, cujo objetivo foi apresentar o percurso e os resultados parciais de uma pesquisa de Iniciação Científica Júnior em andamento, desenvolvido por alunos do 9°ano do Ensino Fundamental sob a orientação do secretário escolar. Como conceito-chave temos ethos comunitário como a ética coletiva necessária ao cuidado mútuo entre os humanos, com a natureza e com a terra, conforme ensina o Teólogo Leonardo Boff. Na mesma lógica, o historiador, filósofo e teólogo Henrique Vieira traz o cuidado mútuo como o respeito aos limites da outra pessoa, sua liberdade e sua singularidade, como uma proteção sem dominação.

Imprensa 24h

Notícias de Aracaju, Sergipe e do Brasil

Instagram

Facebook

Twitter