Hospital Universitário em Sergipe inicia implementação de prontuário afetivo

“Um paciente foi extubado no dia do seu aniversário. Quando a equipe viu que ele gostava da [banda] Natiruts, foi colocado o som e ele balançou a cabeça, como se estivesse dançando com a música”, relata o psicólogo Jakson Gama. Esse é um dos resultados do projeto “prontuário afetivo”, que começou a ser implementado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), administrado pela Rede Ebserh/MEC.
A ideia do prontuário afetivo surgiu a partir de situações que motivaram a equipe de Jakson. “Primeiro, soubemos da experiência do Hospital Universitário de Brasília [HUB-UnB/Ebserh/MEC], a qual repercutiu na imprensa, e uma ação similar no Hospital Universitário de Lagarto [HUL-UFS/Ebserh/MEC]. Também ouvimos um podcast sobre o correio afetivo no Hospital de Urgências de Sergipe [Governador João Alves Filho]”, explica o psicólogo.
O prontuário afetivo é constituído de informações que a equipe multiprofissional reúne para prestar um atendimento mais humanizado ao paciente. “Ao entrar em contato com cada familiar, solicito que me digam como o paciente gosta de ser chamado, o que gosta de ouvir, o que gosta de fazer, sobre o que gosta de conversar, para que tudo isso fique disponibilizado no beira-leito. Isso também motiva a equipe, porque traz uma grande sensação de bem-estar e alegria”, ressalta Jakson.
Importância para o ensino
A psicóloga residente do Programa Multiprofissional de Saúde do Adulto e do Idoso, Milena Barbosa, afirma que o prontuário afetivo é um recurso que foi colocado em prática como parte do aprendizado das estratégias para vencer a pandemia de covid-19. “As famílias continuam impedidas de frequentar o HU-UFS/Ebserh e de visitar os seus familiares [como acontecia normalmente antes da pandemia]”, lembra a residente.
Durante a execução do projeto, Milena destaca que há um esforço para trazer à UTI as particularidades do paciente, a fim de que o cuidado não seja apenas do corpo internado. “A partir de uma visão psicossocial, o trabalho do psicólogo dentro desses espaços de enfermaria e de UTI covid-19 envolve o olhar para a tríade paciente, família e profissionais de saúde”, pontua.
Estrutura de cuidados
O prontuário afetivo é uma das ações que compõem o plano de cuidados na UTI do HU-UFS/Ebserh, e soma-se à visita virtual com troca de mensagens de áudio via aplicativos de celular e videochamadas, de acordo com as condições de cada paciente. O conjunto de ações conta com a participação de toda a equipe multiprofissional de assistência, sob a orientação de psicólogos e assistentes sociais. O objetivo é olhar para além do tratamento tradicional e cuidar do indivíduo como um ser biopsicossocial.
Sobre a Rede Ebserh
O HU-UFS faz parte da Rede Ebserh desde outubro de 2013. Estatal vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e administra 40 hospitais universitários federais. As suas atividades são apoiadas e impulsionadas por meio de uma gestão de excelência.
Vinculadas a universidades federais, essas unidades hospitalares têm características específicas: atendem a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Ebserh/MEC atua de forma complementar ao SUS e não é responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.
Por Luís Fernando Lourenço
 

Ascom/HU-UFS/Ebserh

 

 

 

 

 

 

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe uma resposta