Inteligência Educacional: A importância de cursos e treinamentos com foco nas competências socioemocionais para os professores

A Inteligência Educacional é algo ainda pouco discutido, mas que vem tomando uma grande proporção após a implantação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que preconiza as competências socioemocionais. O formato da implantação da BNCC enfatiza a formação continuada, por entender da importância dos treinamentos para desenvolver profissionais mais habilitados, refletindo de maneira positiva nos resultados esperados. Trabalhar os aspectos socioemocionais junto as crianças e jovens, é algo que precisa ser abordado com os professores de forma emergencial, para que através da geração atual, possamos melhorar os índices da educação, e diminuir os índices de violência, depressão e ansiedade.

Pesquisas mostram constantemente, o quanto a pandemia afetou emocionalmente os seres humanos, em especial crianças e jovens que foram “bruscamente” privados de sua liberdade em pleno desenvolvimento.

O desafio do professor para lidar com os mais diversos tipos de emoções de seus alunos, não é de agora. Em 2019, a revista EXAME publicou a seguinte matéria: “O Brasil é o país mais ansioso do mundo, segundo a OMS. Cerca de 18,6 milhões de brasileiros convivem com o transtorno.” Vejam que esses são índices de junho de 2019.

Temos visto uma sociedade conturbada com o uso tortuoso e excessivo de redes sociais, impactando negativamente na vida de jovens sem base de conhecimento do verdadeiro eu e de aceitação de suas origens, transformando-os em pessoas emocionalmente doentes.

Lidar com essas situações no ambiente educacional, não é tarefa fácil, porque mesmo parecendo que professores são super-heróis, diante da visão dos alunos, sejam eles da educação infantil ou da graduação, o professor também é um ser humano como outro qualquer, e trás em sua bagagem suas angústias pessoais, problemas e porque não dizer suas ansiedade também.

Na grade curricular dos cursos de graduação, e nesse contexto enfatizo a Pedagogia, não existe disciplina que contemple uma formação mais aprofundada que ensina a lidar com as emoções. Existem disciplinas de Psicologia, mas que estão voltadas para o desenvolvimento da aprendizagem e do desenvolvimento. Nesse sentido, fica a seguinte reflexão: Se os professores não foram capacitados para lidar e entender as emoções, como exigir dele que trabalhe isso junto aos seus alunos?

Não existe mágica para mudar esse quadro da noite para o dia, e que fique claro que essas dificuldades não fazem parte apenas de instituições de ensino pública. Essa é uma realidade muito mais abrangente do que se imagina, e atinge todas as classes sociais. Mesmo em escolas privadas, de grande porte, esses desafios emocionais são facilmente encontrados.

Seja na instituição pública ou privada, o que precisa ser feito urgentemente, é investir em cursos e treinamentos que contribuam com um aprendizado focado nas competências socioemocionais, desenvolvendo professores emocionalmente saudáveis, para que possam contribuir com as mudanças emocionais de seus alunos. E essa proposta precisa ser difundida em todos os setores da instituição de ensino.

Publicidade:

De acordo com as DCNs (Diretrizes Curriculares Nacionais), a formação continuada é obrigatória nas instituições de ensino, porém por muitas vezes essas formações perpassam por linhas específicas da aprendizagem, organização e gestão, com foco em metas e resultados, esquecendo do lado humano a ser desenvolvido.

As instituições de ensino não podem e não devem ser somente ambientes passadores de conteúdos. Aprender e ensinar a lidar com as emoções, é fundamental para o pleno desenvolvimento

É fato que a educação é um trabalho conjunto entre família, instituição de ensino e sociedade, no entanto se conseguirmos treinar professores aptos a contribuir com o desenvolvimento emocional dos alunos, isso fará uma grande diferença, pois a família sozinha também não consegue dar conta, e por muitas vezes é por puro despreparo.

.Segundo Platão, “Todo aprendizado tem uma base emocional”. Essa afirmação descreve a importância de desenvolver especializações, cursos e treinamentos desse gênero nas instituições de ensino. Os estudos nesse âmbito devem ser itens obrigatórios, para que discussões sobre a importância dos seres humanos como fator decisivo no processo de evolução da sociedade em geral, tomem uma amplitude maior e significativa.

O desenvolvimento das relações emocionais e sociais precisa ser praticado cotidianamente nas instituições de ensino, para isso cursos que abordem essa temática junto aos professores são imprescindíveis. Provocar o desenvolvimento emocional e social, não é perder tempo, é ganhar seres humanos capazes de aprender melhor, evoluir e contribuir com o meio em que vivem.

Os jovens precisam entender a importância dos seus papéis quanto protagonistas de uma sociedade igualitária e mais justa, e o papel do educador será fundamental para desenvolver em seus alunos, o sentimento de pertencimento, de poder acreditar em si mesmo, e saber que são capazes de mudar o mundo com suas atitudes.

Para isso é necessário cuidar dos professores e capacitando ainda mais, para que eles possam cuidar de si primeiro, para em seguida cuidar do outro. E os cursos com foco na inteligência educacional e competências socioemocionais, terão papel fundamental nesse contexto.

Dayse Xavier de Santana

Pedagoga Especialista

Consultoria e Assessoria Educacional

daysesantana.consultoria@gmail.com

 

 

 

 

 

 

 

 

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe uma resposta