Piscina e mar podem aumentar crises alérgicas no verão?

A doutora Maria Fernanda Malaman explica que sim, mas é possível realizá-las com cuidado e tratar as crises com a ajuda de um médico.

 

O aumento das temperaturas e o período de férias escolares levam muitas famílias a procurarem casas de veraneio que ficaram fechadas por um longo tempo, muitas vezes sem a limpeza e manutenção adequadas nos ar-condicionados e ventiladores, e o contato com ácaros aumenta naturalmente. Não somente por esse fator, mas as doenças respiratórias como rinite e asma que são mais comuns durante o inverno, também se manifestam em pleno verão.

Aproveitar as praias e piscinas por longo tempo durante as férias também podem desencadear reações alérgicas e o surgimento de sintomas como obstrução nasal, dor de cabeça, coriza e, inclusive, dermatites.

 

Quem confirma a influência das atividades de verão sobre as crises alérgicas é a coordenadora adjunta do curso de Medicina da Universidade Tiradentes (Unit), a professora doutora Maria Fernanda Malaman.

“Quem tem rinite alérgica deve ter cuidado ao nadar em uma piscina que teve a água tratada com cloro. Apesar do cloro não ser um alérgeno, ele libera gases que irritam o nariz, os olhos e a pele quando está em contato com as impurezas da água”, alerta.

 

Segundo Malaman, o calor e o suor também estão relacionados às irritações na pele, a exemplo da dermatite atópica. Nesse tipo de doença, que geralmente se apresenta ainda durante a infância, na forma de lesões nas dobras dos braços e na parte de trás dos joelhos, estes dois fatores provocam coceira e inflamação acentuadas.

Como curtir o verão com mais saúde?

Para pessoas que sofrem com esse problema é necessário preparar a pele antes de entrar na piscina ou no mar. Após realizar atividades que ocasionam o aquecimento do corpo e sudorese, também é importante utilizar uma toalha para retirar o excesso de suor, cloro ou sal, e banhar-se assim que possível.

 

“Antes de entrar na piscina ou no mar, deve-se hidratar profundamente a pele com hidratantes específicos para criar uma película protetora na pele. Também deve ser aplicado um protetor solar adequado para a pele dos atópicos, e reaplicá-lo a cada três horas ou a cada vez que sair da água. Além disso, sempre após praticar essas atividades, é aconselhável um banho para tirar o suor, com sabonetes adequados e aplicação de hidratantes específicos logo após o banho”, orienta a professora doutora de Medicina da Unit, Maria Fernanda Malaman. .

 

Mesmo com todo o protocolo para evitar crises alérgicas, ainda é possível que elas aconteçam. No entanto, a realização de atividades físicas e de lazer não são proibidas para ninguém.

“O segredo para evitar crises e ter uma vida totalmente normal é realizar um tratamento preventivo adequado, seguir as orientações de seu médico e aproveitar a vida como deve ser, em qualquer idade. O tratamento deverá ser sempre individualizado, com medicamentos adequados para cada idade e gravidade da doença, evitando sempre os efeitos colaterais”, conclui Malaman.

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *