Planejamento integrado garante processo de modernização da saúde em Aracaju

Nos últimos anos, a Prefeitura de Aracaju tem promovido a modernização de diversos setores da gestão municipal, entre eles, a saúde está entre os destaques por ser uma das áreas que têm mais impacto na vida da população. Atualmente, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), os aracajuanos têm à disposição ferramentas modernas que facilitam o acesso a múltiplos serviços, como o Prontuário Eletrônico, Portal da Saúde, aplicativo ‘Mais Saúde Cidadão’ e Painel Covid, além da central 0800.
Conforme a secretária municipal da Saúde, Waneska Barboza, a ideia de investir em inovação, como tem sido feito pela Prefeitura, desde 2017, veio para dar à população a assistência que ela necessitava da maneira mais prática possível e, para isso, a tecnologia é uma importante aliada.
“Com a pandemia, que trouxe a recomendação pelo distanciamento social, a relevância dessas ferramentas criadas se tornou mais evidente, mas o planejamento realizado pela Prefeitura veio muito antes do surgimento do novo coronavírus. Dentro do planejamento estratégico, formulado ainda no começo de 2017, a modernização da saúde já estava elencada como uma das prioridades para garantir à população uma assistência otimizada e, sobretudo, interligada”, aponta a secretária.
No entanto, para que essa modernização pudesse ocorrer, foi preciso trabalhar na base que daria o suporte a ela. Para tanto, o primeiro passo foi traçar o planejamento e que ele fosse feito de forma integrada com demais secretarias e até órgãos externos, como o Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ/SE).
Em fevereiro de 2018, com a assinatura do termo de compartilhamento da fibra ótica do TJ/SE, a Prefeitura pôde dar celeridade à implantação da vigilância virtual da cidade, que deu mais segurança às Unidades Básicas de Saúde (UBS) e, consequentemente, contribuiu para o fornecimento de equipamentos que funcionam para abrigar o Prontuário Eletrônico, como explicou o coordenador de TI da SMS, Adson Gomes.
“Tivemos que fazer uma análise de toda a conjuntura para saber o que seria necessário. Uma das questões que foi colocada como dificultador foi a segurança das unidades porque, na época, tínhamos muitos registros de arrombamentos e roubos, então, de nada adiantaria a gente informatizar se os equipamentos não continuassem nas unidades. Então, ficou a cargo da Secretaria Municipal da Defesa Social e Cidadania [Semdec], por meio da Guarda Municipal [GMA], resolver a questão da segurança. Pela Secretaria Municipal do Planejamento Orçamento e Gestão [Seplog]  ficou a responsabilidade pela melhoria de internet, aumento da banda larga, com a rede de fibra ótica que melhorasse o desempenho, e tudo isso foi feito”, pontua Adson.
Com as melhorias de base, a Secretaria da Saúde de Aracaju trabalhou na infraestrutura das unidades da rede. Assim, as UBSs foram reformadas, com foco, ainda, na rede e conectividade e, após as reformas, foram adquiridos equipamentos que pudessem abrigar a tecnologia que passaria a ser utilizada. Só computadores, foram quase 1.200 adquiridos.
“Com a infraestrutura necessária fornecida, começamos o processo de modernização pelo Prontuário Eletrônico, uma medida de tecnologia implantada para dar mais segurança aos usuários porque, antes da implantação, os prontuários eram de papel e muitos se perdiam. O prontuário é unificado, ou seja, qualquer unidade da saúde do Município tem acesso ao histórico do usuário, o que torna o processo mais seguro, mais prático”, explica secretária da Saúde.
Segundo Waneska, o prontuário possibilita à gestão municipal, também, “determinados sinais para que sejam tomadas medidas de saúde pública”, na medida em que apresenta, em detalhes, o percentual de pessoas que estão sendo atendidas, que tipo de doença é mais prevalente, os exames que estão sendo feitos, os que estão em espera, se as pessoas estão tomando vacina, quantas tomaram a primeira dose, quantas tomaram a segunda, “além de informações do ponto de vista financeiro, de estoque de medicamentos, de consumo de medicamentos, entre outros pontos”, ressalta a secretária.
Somente a partir do Prontuário Eletrônico, ou seja, com a unificação de dados, foi possível abrir o leque de opções tecnológicas da Saúde. “A partir dele, conseguimos avançar com a implantação do Portal da Saúde, o aplicativo, que dão a possibilidade do usuário, através de um cadastro, poder acompanhar seu cartão de vacinação e marcar consultas nas unidades sem precisar. Vai ser possível, inclusive, o registro da vacina de covid. Já estamos trabalhando com a empresa e já iniciaram a implantação dessa integração e, logo, qualquer um dos profissionais que já foi vacinado poderá ter sua carteira dentro do aplicativo”, salienta Waneska.
“É fundamental que disponibilizemos outras formas de acesso à população e a informática dá a possibilidade de ter um maior controle daquilo que está na ponta. Tudo, no passado, era feito no papel. Existiam alguns sistemas do Ministério da Saúde, como o E-SUS, mas havia subnotificação porque não tinha um processo bem definido de trabalho, então, boa parte do registro do atendimento do paciente, do histórico, se perdia. Até para definir dados epidemiológicos, fazer um trabalho mais efetivo em gestão da saúde, a informação era deficiente. Uma vez informatizado, já temos esse dado na mão e a gestão pode tomar decisões mais assertivas”, completa Adson Gomes ao se referir, ainda, a ferramentas como o Painel Covid e a central 0800 que foram implantadas durante a pandemia e integram a modernização dos processos dentro da saúde municipal.

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Imprensa 24 Horas

Publicidade:

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *