Pular para o conteúdo
Início » Prefeitura de Aracaju divulga cronograma do carro do fumacê costal, confira aqui

Prefeitura de Aracaju divulga cronograma do carro do fumacê costal, confira aqui

Um dos métodos mais lembrados pela população no que se refere à eliminação do mosquito Aedes aegypti é a aplicação do Tratamento a Ultrabaixo Volume (UBV), popularmente conhecido como fumacê. Muita gente não sabe, mas o uso do produto deve seguir restrições e determinações técnicas, não podendo ser aplicado em quaisquer locais e circunstâncias.
O fumacê é aplicado nos bairros a partir de dois principais indicadores: casos notificados pela SMS em um ponto da comunidade, ou o alto índice de risco fornecido pelo Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), em bairros específicos.
De acordo com o gerente do Programa Municipal de Controle do Aedes, Jeferson Santana, o objetivo do fumacê costal é realizar o bloqueio de transmissão das doenças causadas pelo mosquito, como dengue, chikungunya e zika vírus, e o produto, bem como a forma com que ele é usado pelas equipes técnicas da SMS, não causa risco para a saúde da população.
“No caso de uma notificação, a equipe aplica o produto em um raio de 300 metros, que é demarcado a partir do ponto exato onde mora a pessoa infectada pelo mosquito e o inseticida é pulverizado somente nesta área. Como o mosquito é de voo curto, dificilmente ele conseguirá ultrapassar esse raio, avançar para demais áreas e contaminar outras pessoas. Caso o indicativo se baseie no índice fornecido pelo LIRAa, o fumacê também deve ser acionado, pois é necessário fazer um controle rápido do mosquito”, explica Jeferson.
Aplicação do inseticida
O Governo Federal repassa mensalmente para o município de Aracaju cerca de 50 litros do inseticida, a ser utilizado no fumacê costal. A substância é pulverizada, em média, 16 vezes por mês, das 17h às 19h, horário em que ocorre maior movimentação vetorial do mosquito.
“Após a aplicação, o inseticida fica no ar cerca de uma hora e trinta minutos, tempo suficiente para entrar em contato com os mosquitos, principalmente as fêmeas, que são as transmissoras das doenças”, ressalta o gerente.
Programação nos bairros
As equipes de combate às endemias seguem aplicando o fumacê costal com a finalidade de evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika, trabalho que contemplará, nesta terça-feira, 26, o bairro Palestina; na quarta-feira, 27, o bairro Santo Antônio; e na quinta-feira, 28 o bairro Ponto Novo.
Colaboração da população
A aplicação do fumacê não diminui a responsabilidade do cidadão, que precisa ficar atento ao acúmulo de água em casa, como reforça o gerente.
“Orientamos o morador a fazer uma busca detalhada no imóvel para que, numa possível identificação de algum risco, ele possa fazer o controle. A mudança entre sol e chuva, geralmente, leva ao acúmulo de água, daí, é importante que o morador perceba essa característica do depósito e elimine”, orienta Jeferson.