Pular para o conteúdo
Início » Prefeitura de Aracaju orienta população no combate ao mosquito da dengue

Prefeitura de Aracaju orienta população no combate ao mosquito da dengue

A melhor forma de proteger a população de arboviroses é evitando a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Pensando nisto, a Prefeitura de Aracaju, por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), reverteu a decisão judicial e agora retoma as visitas intradomiciliares de combate ao mosquito que estavam suspensas. Entretanto, é válido ressaltar que cada cidadão tem papel importante no combate à dengue.

De acordo com o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), houve um aumento de 100% no índice de infestação por Aedes, em relação ao levantamento realizado no mesmo período do ano passado. Um dos motivos para esse aumento significativo pode ter sido efeito da redução de ações preventivas durante a pandemia.

Sendo assim, é importante lembrar que o combate à dengue só é possível quando há ações preventivas e contínuas por parte, também, da população. Cada cidadão pode fazer a sua parte para reduzir o número de pessoas infectadas e, consequentemente, minimizar o risco de complicações e óbitos.

“O trabalho realizado pela SMS é mais voltado para conscientização e orientação. Por isso, só tem efeito se tiver a colaboração da população. Se ela não contribuir, além das ações não surtirem o efeito desejado, os índices de infestação podem até aumentar”, frisa o gerente do Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti, Jeferson Santana.

O que fazer

Para que os índices voltem a diminuir, evitando os riscos de infecção, é fundamental a participação da comunidade por meio de uma mobilização social e, para isso, vale destacar algumas ações que a população deve realizar, pelo menos uma vez por semana, para impedir a proliferação do mosquito:

Verificar se a caixa d’água está bem tampada; deixar as lixeiras bem tampadas; colocar areia nos pratos de plantas; recolher o lixo do quintal; limpar as calhas; cobrir piscinas; colocar telas finas nos ralos e baixar as tampas dos vasos sanitários; limpar a bandeja externa da geladeira; limpar e guardar as vasilhas dos bichos de estimação; limpar a bandeja coletora de água do ar-condicionado; cobrir bem todos os reservatórios de água.

Durante o período de chuva, é normal o acúmulo de água em calhas, lages, pneus, vasos de plantas e objetos desprotegidos em sacadas, áreas de circulação, jardins ou quintais – e, caso não haja uma limpeza, eles se tornam criadouros de mosquitos.

Os ovos do mosquito podem hibernar por anos, até encontrar condições ideais para se desenvolver, preferindo o período de calor e umidade para isso. O mosquito Aedes Aegypti vive até 35 dias e, ao longo de sua vida, normalmente não percorre mais de 600 metros, por isso é importante manter os ambientes sempre limpos, higienizados e nunca deixar água parada por muito tempo.

LIRAa

O índice de infestação geral de Aracaju foi de 2,2, valor considerado como médio risco para surtos ou epidemias. Em relação ao último LIRAa, realizado em julho de 2021, o índice de infestação predial apresentou a mesma classificação de risco, porém com um aumento de 37.5%, quando comparado ao LIRAa realizado em março de 2021 o aumento foi de 100%.

Dos 43 bairros de Aracaju, nove foram classificados em baixo risco (satisfatório), 28 bairros em médio risco (alerta), e seis bairros classificados como alto risco de surto ou epidemia. Quando avaliados bairro a bairro, observa-se que, em março deste ano, 81,4% deles tiveram aumento no valor do índice de infestação predial comparando com o mesmo período do ano passado.

Entre as estratégias para mudar esse cenário, a SMS tem realizado a aplicação de fumacê costal e mutirões de limpeza, em parceria com a Emsurb e Secretaria de Meio Ambiente (Sema).