Reconhecida como Patrimônio da Unesco, Praça São Francisco une beleza e história

Quem passa pela Praça São Francisco tem a sensação de voltar ao passado aos tempos da Capitania de Sergipe del-Rei. Localizada no centro histórico de São Cristóvão, a praça consiste em um conjunto monumental excepcional e homogêneo, composto de edifícios públicos e privados que representam o período durante o qual as coroas de Portugal e Espanha estiveram unidas, entre 1580 e 1640.

De acordo com Rony Silva, professor doutor do curso de História da Universidade Tiradentes, a Praça São Francisco foi implantada de acordo com o comprimento e a largura exigida pela Lei IX das Ordenações Filipinas. “A Praça São Francisco incorpora o conceito de Praça Maior tal como empregado nas cidades coloniais da América hispânica, inserida no padrão urbano português de cidade colonial em uma paisagem tropical. Por isso, pode ser considerada uma simbiose notável do planejamento urbano de cidades de origem ibérica”, explica.

São Cristóvão divide-se em duas zonas distintas: a cidade baixa, onde está localizado o porto, as fábricas e o casario popular, e a cidade alta, instalada no topo de uma colina, onde surgiu a Praça São Francisco, que desde sua concepção recebeu as sedes dos poderes civil e religioso, sendo um ponto privilegiado para a observação desta parte do litoral, cumprindo também uma função militar. Sendo um espaço aberto quadrangular com 73 x 51 metros, com pavimentação de pedra, e rodeado de importantes edificações históricas, como a Igreja e Convento de São Francisco, a Santa Casa de Misericórdia com sua igreja e o Palácio Provincial, além de um casario antigo que data dos séculos XVIII e XIX.

Reconhecida como Patrimônio Mundial pela Unesco desde 3 de agosto de 2010, Rony destaca alguns critérios que fizeram com que a Praça São Francisco fosse escolhida.“Ela representa o trabalho de algum mestre do gênio humano criativo, é um testemunho de uma significativa troca de valores durante um período prolongado de tempo no âmbito de um elemento arquitetônico, urbanístico, paisagístico, tecnológico ou pertencente ao elemento das artes monumental, também é um exemplo de uma tradição excepcional de alguma civilização existente ou extinta e pertence a um conjunto arquitetônico ou urbanístico representativo de alguma etapa importante da história”.

Rony também reitera a importância histórica da Praça para a cidade de São Cristóvão e para Sergipe como um todo. “A Praça São Francisco é, sem dúvida, uma riqueza para o estado de Sergipe. A praça e as construções associadas contidas no sítio inscrito são, portanto, autênticas em retratar sua importância histórica e social para a vida da cidade. As obras realizadas no conjunto têm mantido suas características, melhorando a infraestrutura, comodidade e segurança dos que por ali passam. Além de ser uma espécie de portal para o passado da Capitania de Sergipe del-Rei”.

Assessoria de Imprensa | Unit

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *