Sergipe terá primeira escola Quilombola a ofertar Ensino Médio em Tempo Integral

O Mocambo é a primeira comunidade Quilombola de Sergipe e a terceira do Nordeste a implementar o Ensino Médio em Tempo Integral

Perto de completar 25 anos de reconhecimento, o Quilombo Mocambo, localizado no município de Porto da Folha, território do Alto Sertão sergipano, irá ofertar o Ensino Médio em Tempo Integral no Colégio Estadual Quilombola 27 de Maio. A nova modalidade faz parte de um projeto de ampliação que inclui mais 14 unidades escolares oferecendo Ensino Integral a partir do ano letivo de 2022. O Mocambo é a primeira comunidade Quilombola de Sergipe e a terceira do Nordeste a implementar o Ensino Médio em Tempo Integral.

O movimento de adesão ao Ensino Médio em Tempo Integral ocorre por meio de deliberação entre a comunidade, seguido de votação do Conselho Escolar, cuja decisão é registrada em ata. O colegiado reúne todos os seus representantes, entre os quais alunos, professores, gestores e demais servidores, para discutir a implantação do modelo de forma democrática.

Para o secretário de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura, professor Josué Modesto dos Passos Subrinho, além de dar cumprimento a uma meta do Plano Nacional de Educação, reafirmada no Plano Estadual de Educação, “a expansão para novas unidades permitirá a um percentual maior de nossos jovens estudantes o ingresso em um processo educacional integral”, frisou ele, reforçando que a implantação do ensino médio integral tem ocorrido de forma gradativa. “Ou seja, nas escolas que fazem a adesão, a cada ano se implanta uma série da modalidade, até completar o ciclo em três anos. Dessa forma é possível, por alguns anos, a convivência na mesma escola de modalidades e turnos de funcionamento distintos”, completou o secretário ao acrescentar que a referida modalidade melhorou o Ideb do Estado e aumentou a aprovação no Enem.

A coordenadora de infraestrutura do Núcleo Gestor de Educação em Tempo Integral (NGETI), Mônica Rodrigues, explica que o período de implementação do Ensino Médio Integral é de três anos, quando geralmente abrem vagas para duas turmas da 1ª série, dependendo do número de matrículas. É nesse momento que os ajustes são realizados e a infraestrutura melhorada ao passo que se implementam o Ensino Médio em Tempo Integral e a comunidade escolar passa a adaptar-se ao novo modelo.

“Os primeiros movimentos que nós fazemos nas escolas são os de visualizar as estruturas, o que ela precisa para atender em 100% as necessidades de uma Escola em Tempo Integral. Depois fazemos um ajustamento em relação ao que tem hoje, para começar imediatamente, vendo os equipamentos necessários, ajuste de carga elétrica, etc. Já foram enviados à unidade 27 de Maio dois kits dos laboratórios de Física e de Biologia, os armários para os estudantes, e outros equipamentos que estão em licitação também serão enviados para a unidade”, relatou.

O diretor colégio, Lucivan Souza, acredita que é positiva a oferta da nova modalidade no Quilombo e considera que o atual Ensino Médio é um modelo que já não é suficiente e precisa ser modificado de acordo com os anseios da juventude. “Nós ficamos deslumbrados com a proposta do Ensino Integral, mas é preciso de um aparato para receber o estudante que vai ficar um período maior dentro da escola”, relatou Lucivan sobre as mudanças na infraestrutura da escola.

Elaine Melo, diretora da Diretoria Regional de Educação 7, foi fundamental no processo de adesão do Colégio Quilombola no que diz respeito à nova modalidade de ensino. Segundo ela, o Mocambo ampara outras regiões, o que pretende gerar mais matrículas. “Para nós, da Diretoria Regional de Educação 7, essa é mais uma conquista e estamos muito felizes. Eu acredito muito na metodologia do programa de Educação em Tempo Integral que é um modelo que nós precisamos para os nossos jovens avançarem. Por acreditar na proposta é que eu me esforço e busco a implantação nas unidades escolares da Regional. No total, estamos trabalhando o Ensino Médio em Tempo Integral em quatro unidades escolares, duas já implantadas há alguns anos e outras duas que iniciam este ano”, relatou Elaine Melo.

Motivo de orgulho

Maria Nazaré Acácio dos Santos é moradora do Quilombo desde a infância e foi aluna da unidade 27 de Maio. Ela considera-se professora permanente da escola, já que é ex-aluna e mãe de alunos, atua como líder comunitária e é presidente da Associação dos Remanescentes Quilombo Mocambo. A também historiadora relata que a comunidade quilombola foi a primeira a ser reconhecida em Sergipe e certificada pela Fundação Cultural Palmares.

“Hoje sou mãe de alunos, tenho um casal de filhos, não sou professora do quadro do município, nem do estado, mas sou a professora permanente do quilombo, amiga da escola para toda hora. E é chegada o Ensino Médio Integral no Mocambo, motivo de orgulho, de muita alegria e vitória”, destacou Nazaré.

 

Melhoria e adequação

Segundo informações do Departamento de Engenharia e Manutenção Predial (DEMAP) da Seduc, o Colégio Estadual Quilombola 27 de Maio está no cronograma de projetos a serem desenvolvidos em 2022. Assim, a unidade vai passar por uma reforma, ampliação e construção da quadra de esporte.

Mônica Rodrigues informa que em relação à infraestrutura da unidade de ensino, que demanda mais tempo, que foi encaminhado para a Engenharia já que a escola tem espaço para fazer as ampliações e adequações necessárias. “Ao mesmo tempo, o colégio fará os ajustes de praxe, como melhorias no banheiro, na climatização”, concluiu.

Assessoria de Comunicação da SEDUC
 

Notícias de Sergipe

Email: contato@imprensa24h.com.br

Agilidade e informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h

Imprensa 24 Horas

Siga nossas redes:

Facebook
Instagram
Twitter

Imprensa 24h

Notícias de Sergipe: Informações com credibilidade são as marcas do Imprensa 24h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *